Grupo NOV conclui empreitada na ETAR da Parada para o SMAS da Maia

Fecha de la noticia: 7 Diciembre 2023

O consórcio constituído por NOV Pro Construções, BioSmart, e Lena Engenharia e Construções, concluiu a empreitada de “Construção de Decantador Secundário e Sistema Mecânico de Desidratação de Lamas na ETAR de Parada” para o SMAS da Maia.

Este investimento, que rondou os 1,6 milhões euros, teve como premissa aumentar a capacidade de tratamento de águas residuais da estação e preparar a infraestrutura para poder, num futuro próximo, efetuar o designado tratamento terciário dos efluentes.

O processo construtivo do decantador foi pelo método tradicional em betão armado, sendo por fim revestido com recurso a resinas epóxicas especificas para o meio a que se destina.

A empreitada contemplou a execução das obras de construção civil, equipamentos e instalações elétricas e automação, relativas ao quarto decantador secundário e ao espessamento mecânico de lamas biológicas. A cota da base da laje do decantador é 40,00 m, sendo 2,5 m abaixo do nível médio de água do rio Leça, localizado a 10 metros da implantação do decantador.

Para execução desta obra foi necessário realizar uma ensecadeira em todo o perímetro do decantador a executar, com recurso a estacas prancha metálicas tipo “Larsen” ancoradas. As fundações do decantador foram executadas em poços de fundação pelo método “Havage”. Para a realização das fundações, a uma cota de 7 metros abaixo do nível médio das águas do rio Leça, houve a necessidade de criar um poço drenante com bombas submersíveis de 6”.

O processo de tratamento do efluente é caracterizado por duas fases. A primeira fase assenta no tratamento da fase líquida, consistindo no tratamento preliminar (gradagem e desarenação), tratamento primário (decantação) e tratamento biológico (por lamas ativadas).  A segunda fase consiste no tratamento da fase sólida, consistindo no espessamento, digestão anaeróbia (sem oxigénio, a quente) e desidratação mecânica.

As lamas obtidas no processo de tratamento são alvo de digestão anaeróbia, aproveitando-se também o biogás para produção de eletricidade. A lama é, no final, desidratada e enviada para a Estação de Compostagem de Lamas contígua à ETAR. Nesta instalação é produzido um corretivo orgânico denominado Agronat.

A ETAR de Parada na Maia trata os afluentes de cerca de 75% do concelho da Maia, e de uma grande parte da freguesia de São Mamede Infesta do concelho de Matosinhos.  Abrange um total de mais de 80.000 habitantes, tratando um caudal médio de 18.000 m3/dia.

A empreitada agora concluída contou com o envolvimento de dois setores do Grupo NOV, nomeadamente, Ambiente & Energia e Engenharia & Construção. Entre outros, alguns dos focos principais deste grupo empresarial diversificado, tem sido a inovação e o foco nas competências dos seus colaboradores.